Espaço Cultural Casa Guariento

A Casa Guariento era um armazém de secos e molhados, fundada por Ricardo Guariento em 1839, e inciou suas atividades comercializando os mais diversos tipos de mercadoria nacionais e importadas, como: bebidas finas, gêneros alimentícios, tecidos, roupas, perfumes, armarinhos, utencilios para o lar, calçados, chapéus, armas de fogo, relógios, óculos, brinquedos, móveis, ferramentas e ferragens, matérias de contrução, fogos de artifício, arreios, fumo, etc. Nesse estabelecimento, também, os demais finos gêneros, das melhores marcas de então, como perfumes da Helena Rubinstein, cosméticos da Elisabeth Arden, chapéus Ramenzoni, sedas chinesas, etc. Ali era feito o engarrafamento de bebidas, como vinhos italianos, cachaças e vinagre, que eram comercializados pela própia casa e vendidas para outras casas comerciais, que as revendia. Ricardo Guariento era, ainda, representante da “Anglo Mexican Petroleum Company Limited” (Shell), tendo estalada a segunda bomba de gasolina de Itirapina, na década de 20. 
Dirigida por Ricardo Guariento até a ocasião de seu falecimento, em 15/10/1951, passou a ser administrada, até seu fechamento, em 1979, por seu filho Pedro Guariento, tendo se conservado, até esta ocasião, como uma das principais e tradicionais casas de comércio de Itirapina e região.
A Casa Guariento, nos seus longos anos de existência, empregou muitas pessoas na cidade.
O prédio primitivo que abrigava a Casa Guariento e que servia de moradia para a família, é um dos mais antigos da cidade, tendo sido, provavelmente, a primeira construção realizada junto ao pátio, hoje jardim público. Defronte dele, no local onde atualmente se encontra o coreto, situava-se a capela de Santo Antonio de Pádua, com frente para a Avenida 07, que desabou em 1931. A construção desse prédio, que integra a edificação atual foi realizada pelo próprio Ricardo Guariento, em 1892/1893.
A alvenaria foi feita em tijolos de barro recozidos, assentados com barro. O telhado era de duas águas, com beiral, e possuía cobertura de telhas cerâmicas coloniais. A edificação recebeu outros acréscimos e alterações. A principal ampliação foi realizada em 1921/1922, quando passou a apresentar uma volumetria e características bem próximas da atual.
Em 1913, a Casa Guariento foi o primeiro imóvel em Itirapina, depois do Centro telefônico e da Delegacia de Polícia, a possuir telefone. Nos primórdios do povoado, Ricardo alugava a sala da residência, que na ocasião era maior, para a realização de bailes e casamentos, devido ao fato de não haver na localidade, naquela época, um local apropriado para esse propósito.
 
No ano de 2008 o prédio foi comprado pela prefeitura municipal de Itirapina, e desde então abriga a Divisão de Cultura. Atualmente a casa também abriga o Acessa SP e a Biblioteca Municipal Professor José Porfírio.
A complexo cultural fica aberta de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, e promove várias atividades aos jovens e pessoas interessadas na vida cultural, como aulas de desenho, canto coral, música (banda municipal), curso de formação de agentes populares da cultura, além das tradicionais exibições cineclubistas.
 
Endereço: Rua 5, número 195
Bairro: Centro 
Telefone: (19) 3575-1852

© 2012 Todos os direitos reservados.

Crie um site grátisWebnode